domingo, 4 de outubro de 2009

Chá de Maracujá



Na natureza existem milhares de plantas com ação farmacológica. O Brasil, nesse aspecto, caracteriza-se por possuir grande riqueza de plantas, principalmente na Amazônia, que "é um viveiro admirável e inesgotável de plantas medicinais", apesar de a maioria delas ser utilizada sem embasamento científico.Nem tudo aquilo que o povo usa para tratar determinada doença é bom e realmente serve. As pessoas precisam tomar conhecimento de que, mesmo sendo um medicamento natural, as plantas podem causar problemas de saúde se forem usadas de maneira errada.

Dentre os vários fitoterápicos utilizados pela população, a espécie Passiflora edulis é uma das mais conhecidas.Pertence à família Passifloraceas, originária das regiões tropicais e subtropicais do continente americano e abundante no norte do Brasil. Entre as substâncias químicas descritas na Passiflora edulis encontram-se os alcalóides (harmana, harmina, harmalina e harmol), flavanóides(rutina, vitexina e orientina), glicosídeos, fenóis ,terpenos e carotenóides.

Passiflora edulis Sims f. flavicarpa, espécie de grande interesse comercial no Brasil, é popularmente conhecida como maracujazeiro amarelo. Vários autores constataram diversos efeitos farmacológicos e a mesma tem sido utilizada para tratamento de afecções do sistema nervoso com ações sedativas, anti – helmíntica, parassimpaticolítica(inibe os efeitos da estimulação do parassimpático), antipirética, além de propriedades analgésicas e antiinflamatórias. Em particular, tem sido demonstrado que a Passiflora edulis tem efeito analgésico e antiinflamatório, com características dos antiinflamatórios não esteróides (AINES), que diminuem a dor por inibição da biossíntese de eicosanóides, mediadores de processos inflamatórios, em geral na forma de extrato, como chás ou topicamente.

Pertencentes ao grupo das flavonas a rutina, a vitexina e orientina possuem propriedades antioxidantes que são compostos capazes de retardar ou inibir a oxidação de lipídeos, ácidos nucléicos ou outras moléculas, através de sua atividade inibitória na iniciação ou propagação de reações de oxidação interligadas; Possui também efeito anticarcinogenico. Estudos demonstram uma redução do risco de trombose com o aumento da ingestão de alimentos constituídos por flavonóides e dificuldade na absorção de certos hormônios que promovem o câncer.

Com relação aos nutrientes foliares, os teores podem variar em função da idade ou da posição da folha; o N, o P, o K e o Zn tendem a diminuir com a idade das folhas e apresentarem-se em menores teores nas folhas mais distantes da região apical dos ramos. Por outro lado, verifica-se em nutrientes pouco móveis, tais como o Ca, o B e o Mn, normalmente, um efeito contrário.

Para a Farmacopéia Européia, órgão Oficial Farmacêutico Europeu onde se estabelece a qualidade dos medicamentos em uso na Europa, espécies de Passiflora devem ter um mínimo de 15mg g-1 de flavonóides totais na matéria seca, expressos em vitexina, para serem utilizadas na produção de fitoterápicos. Os teores de flavonóides totais encontrados nas folhas do ramo do maracujazeiro amarelo variaram de 24,4 a 14,9mg g-1 de matéria seca (da mais jovem para a mais velha). Demonstrando assim a possibilidade de utilização de folhas do maracujazeiro amarelo, principalmente as mais novas, para a produção de fitoterápicos.



Referências:
Marta Simone Mendonça Freitas; Pedro Henrique Monnerat; Ivo José Curcino Vieira; Almy Júnior Cordeiro de Carvalh - Flavonóides e composição mineral de folhas de maracujazeiro amarelo em função da posição da folha no ramo Cienc. Rural v.37 n.6 Santa Maria nov./dez. 2007

Gisele Anne Camargo;Larissa Consoli;Ivy Cristini Sousa Lellis;Juliana Mieli;Erick Kinoshita Sassaki – Bebidas Naturais de frutas:Perspectivas de mercado,componentes fuincionais e nutricionais BioEng,Campinas mai/ago-2007

Marisa de Barros Sousa e Silva –Flavonoides com capacidade antioxidante Faculdade de Ciencias e Tecnologia Universidade Nova de Lisboa

José Ribamar Sousa da Silva; Antonio Carlos Ligocki Campos; Lydia Masako Ferreira; Ayrton Alves Aranha Júnior; Arnulf Thiede; Luiz Alberto Zago Filho; Lyrio César Bertoli; Marcelo Ferreira; Paula Suzin Trubian; Alexandre Coutinho Teixeira de Freitas -Efeito do extrato da Passiflora edulis na cicatrização de gastrorrafias em ratos: estudo morfológico e tensiométrico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário